PLANÍCIE DOURADA

Benvindo a Portugal

A paisagem é a primeira sensação que temos ao chegarmos à região, importa pois descobrir o que está para além desta primeira impressão.

A planície define o território, uma planície “ondulada” caracterizada por uma paisagem que em cada estação ganha novas e variadas cores: no Inverno o verde domina, na Primavera, mantos floridos de variados tons transformam a região num festival de cor.

No Verão a sensação de secura e calor é-nos também transmitida pelo dourado que então conquista tudo, por fim, no Outono os campos são charruados e semeados, o castanho adquire o protagonismo, uma infinidade de tons de terra definem agora a paisagem. E tudo recomeça!

 

A paisagem, forte, imensa, perturbante

A paisagem é vida…

…é a natureza selvagem que partilha com o homem, há milhares de anos, este território.

…é o reflexo da história

São vários os habitats identificados na Rede Natura 2000, como seja a ZPE de Moura Barrancos e Mourão onde pode encontrar várias aves de rapina, cegonha negra ou grous; a ZPE de Castro Verde, único plano zonal do país, onde as aves estepárias marcam presença; ou ainda a ZPE do Guadiana onde se inclui o Parque Natural do Vale do Guadiana, que tem como referência obrigatória a queda de água conhecida por Pulo do Lobo.

Aqui, desde tempos remotos, temos testemunhos da presença humana: sítios arqueológicos, castelos, igrejas, antigas minas, museus onde são expostos os vestígios do passado, ou tão simplesmente as pequenas vilas e aldeias com as suas construções tradicionais reflectem bem a diversidade das influências culturais a que esta região esteve sujeita.

Planície dourada

são as pessoas que cá vivem, são odores e aromas que sabiamente são transformados em sabores

gastronomia

Na doçaria a excelência é para os doces conventuais como o pão de rala ou as trouxas de ovos, mas as popias, os nógados ou os pastéis de grão são também uma tentação.

A gastronomia é um dos melhores cartões de visita da Região. São os queijos de cabra e de ovelha, sendo o mais afamado de Serpa, são os presuntos e enchidos sobretudo os de Barrancos preparados a partir do porco preto.

Famoso, em toda a Região, é também o pão de trigo com o qual juntando-se ervas aromáticas – coentros, poejos, ou hortelã – elaboram-se as deliciosas migas, açordas e ensopados.

Gaspacho, ensopado de borrego, carne do alguidar, sopa da panela, sopa de beldroegas, sopa de cação e açorda de alho com bacalhau, são alguns dos pratos eleitos, mas há mais, há as favas guisadas, as ervilhas com ovos, o cozido de grão, e ainda os pratos de caça.

porque non tudo é paisagem

E porque falamos de paisagem e alimentação, não nos podemos esquecer do azeite, já que o olival é uma presença constante na paisagem e o azeite um dos produtos regionais mais reconhecidos, destacando-se o azeite de Moura.

Existe muito para fazer nesta Região: desde actividades ao ar livre como caça, pesca, observação de aves, percursos de BTT, passeios a cavalo, canoagem, parapente, karting.

No Baixo Alentejo pode gostar de actividades culturais, que se inscrevem anualmente no calendário de acontecimentos da região como seja a Planície Mediterrânica, os Encontros da Comunidades Mineiras, o salão de BD, o Festival Islâmico ou o Dock’s Kingdom.

terra de vinhos

BAIXO ALENTEJO

Vidigueira, Moura e Pias são as zonas mais afamadas e com mais tradição nesta arte, no entanto para além destas localidades, nos últimos anos têm surgido vinhas noutras zonas da região.